domingo, 1 de julho de 2007

Açores acima de 50% de renováveis

As ilhas açorianas de São Miguel e Flores registaram, nos primeiros quatro meses deste ano, uma penetração de energias renováveis de 50 e 61 por cento, anunciou hoje o vice-presidente do governo regional.

Portugal propõe-se atingir, em 2010, 45 por cento de participação de energias renováveis, lembrou Sérgio Ávila, que falava na inauguração da nova central termoeléctrica da empresa EDA no Corvo, a mais pequena ilha dos Açores.

"O forte incremento dos investimentos efectuados nos últimos dez anos permitiu que a produção de energia eléctrica com origem renovável subisse dos 69,7 milhões de kWh em 1996 para os 130,3 milhões em 2006" nos Açores.

De acordo com Sérgio Ávila, esta evolução significa uma quase duplicação das energias renováveis, com a geotermia (calor da terra) a representar 64 por cento, a hídrica 23 por cento e a eólica 13 por cento do total produzido no último ano.

Sérgio Ávila adiantou que o governo "pretende transformar o Corvo na primeira" das ilhas açorianas em termos de penetração de energia renovável. Para isso, vai ser construída uma central hidroeléctrica reversível na ilha, alimentada por um parque eólico, anunciou.

A central termoeléctrica hoje inaugurada representou um investimento de cerca de dois milhões de euros e vai substituir a anterior localizada no centro da vila e já ultrapassada.

De acordo com o presidente da eléctrica açoriana (EDA), Roberto Amaral, a nova central assegura as necessidades energéticas da ilha por "um longo período", ao mesmo tempo que melhora a qualidade do serviço prestado à população da ilha.

Roberto Amaral prevê que a ilha Terceira poderá atingir uma autonomia energética próxima dos 50 por cento dentro de ano e meio, em consequência dos investimentos na construção de uma central geotérmica e num parque eólico.

O Corvo foi a última ilha dos Açores a ter energia eléctrica, em 1963, mas recebeu agora uma nova central alimentada a gasóleo, que permite o seu funcionamento automático, sem a presença humana..

in Público

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial