domingo, 8 de julho de 2007

EDF investe em vento português

A subsidiária da empresa estatal francesa EDF para as energias renováveis, EDF Energies Nouvelles, anunciou que vai investir 500 milhões de euros para construir dois parques eólicos em Portugal, um dos quais será o maior da Europa.
A EDF Energies Nouvelles anunciou ter assinado dois contratos de financiamento no valor total de 500 milhões de euros para a construção de um parque eólico no Alto Minho, com uma potência instalada de 240 megawatts (MW) no valor de 325 milhões de euros, e o outro por 175 milhões de euros para a construção do parque da Arada, com 112 MW. A EDF prevê que os novos parques eólicos entrem em funcionamento em 2008 e 2009. O parque eólico do Alto Minho, situado junto à fronteira espanhola, será o maior parque eólico da Europa, com 120 aerogeradores e uma potência instalada de 240 MW, terá um único ponto de ligação à rede.
Este parque é detido em 42,5 por cento pela EDF e os restantes 57,5 por cento pelos parceiros espanhol Endesa e português DST.
O parque eólico da Arada, no centro de Portugal, com 56 aerogeradores e 112 MW, é detido a 100 por cento pela EDF Energies Nouvelles.
A EDF afirma que estes dois projectos vão reforçar a sexta posição que a sua subsidiária ocupa em Portugal em termos de quota no mercado da energia eólica, onde já detém 144 MW de capacidade instalada bruta. Além da presença nas renováveis em Portugal, a EDF tem 10 por cento da Tejo Energia que possui a central a carvão do Pego, com uma capacidade de 600 MW.
Trata-se de mais um sinal da importância que as empresas estão a ter com o ambiente. É que sendo os parques eólicos de investimento equilibrado e sendo que a rentabilidade do mesmo é a sete anos, logo a curto prazo, logo rentável, pode dizer-se que as energias amigas do ambiente, afinal, compensam.

in O Primeiro de Janeiro

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial