quarta-feira, 18 de julho de 2007

DST reforça nas energia eolica... e não só

O grupo Domingos da Silva Teixeira (DST) anunciou hoje que vai criar seis novas empresas até final do ano, através de operações de autonomização das unidades de negócio de geotecnia, pedreira, betão armado, madeiras, rochas ornamentais e metalomecânica.

«Queremos autonomizar estas áreas, fomentando o plano de expansão de cada unidade de negócio e, consequentemente, o crescimento da holding, sendo que os directores-gerais de todas as futuras empresas - que serão administradores das respectivas empresas e já estão identificados - são actuais quadros da DST e frequentam uma formação de cerca de 300 horas na Escola de Gestão do Porto», explicou o mesmo responsável.

A aposta da empresa de Braga continua a estar «muito focada no desenvolvimento de competências dos seus técnicos», submetendo-os a processos de actualização de conhecimentos e certificação de competências «em treinos de alta competição», dotando-os assim, de qualificação para mercados sofisticados e para novos produtos e serviços, realçou José Teixeira.

Neste contexto, o responsável da DST esclareceu que a empresa «quer investir 10 milhões de euros em Investigação e Desenvolvimento (I&D) na área das energias renováveis, nomeadamente na fotovoltaica».

Sobre o desempenho da empresa de construção Domingos da Silva Teixeira (DST) no primeiro semestre deste ano classificou-o como «muito positivo».

Neste período, o volume de negócios aumentou em 40%, para 52 milhões de euros, face a igual período de 2006.

«Com o actual desempenho, a holding da DST, prevê alcançar uma facturação de 140 milhões de euros no final do ano, contra os 100 milhões realizados em 2006», refere a empresa portuguesa.

Segundo o presidente executivo da DST, «além do contributo do negócio da construção, os resultados positivos foram também suportados pela aposta da empresa na área das energias renováveis em Portugal».

O processo de internacionalização da DST está também em curso no âmbito do agrupamento WAY2B, ACE que integra cinco empresas de construção de Braga.

«É objectivo do agrupamento adquirir uma empresa de construção em Espanha e outra na Bulgária, estando a aquisição a ser estudada por entidades financeiras que identificarão empresas com um volume de negócios entre 25 a 50 milhões de euros por ano», adiantou.

O agrupamento WAY2B, ACE está também a desenvolver negócios na área do turismo, tendo já identificados quatro mercados de actuação (Açores, Madeira, Algarve e Brasil).

«Estamos a gerar negócio, através de soluções alternativas», salientou o presidente executivo da DST.

As cinco empresas construtoras de Braga criaram um pacto social que prevê que nenhuma delas possa concorrer sozinha no mercado externo no âmbito da sua actividade principal que é a construção.

Sobre o sector energético, a DST está a fazer investimentos na compra de terrenos para exploração eólica em países onde o processo está mais atrasado, como a Eslováquia, Roménia, Hungria e Brasil, onde a empresa prevê investir 260 milhões de euros.

«A DST está a montar os projecto das energias renováveis sozinha e depois, porventura, convidará parceiros de negócio», antevê José Teixeira.

Actualmente, a DST é a maior empresa de média dimensão no sector da energia eólica em Portugal, sendo sócia da espanhola Endesa e da francesa EDF no maior parque eólico na Europa no Alto Minho, em Portugal.

in Dinheiroi Digital

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial